08
abr
12

FUTURO E MOBILIDADE

Ouvimos diariamente falar em mobilidade. Virou moda e projeto político, mas as ações são frustrantes. Recordo perfeitamente quando participei em 2009 do 1º seminário de avaliação da Copa do Mundo de 2014 e durante imersão de três dias conheci todo o seu planejamento. Na cerimônia de abertura, a autoridade do Governo Federal presente (ANTT) disse claramente “que as exigências da FIFA (em relação à mobilidade urbana) são exageradas e nós faremos o que for possível e conveniente”. Agora já podemos afirmar que perdemos – efetivamente – a excelente oportunidade de melhorar as condições sociais e urbanas que estes eventos propiciam. Alguns irão se beneficiar, mas o povo pouco ganhará de infraestrutura.

Em termos locais recordo também quando em 2008 na 1ª avaliação pública das diretrizes do “novo” planejamento urbano de Blumenau,  chamado desta vez de BNU 2050, foi redigido textualmente que “Sistema de anéis prevê (desde 1970!) a retirada do fluxo (de veículos) da área central”. Realmente algumas obras estão em execução, outras em processo de financiamento. São importantes e prioritárias? Sim, com certeza, mas segundo informado na mais recente audiência deste plano, “somente daqui a oito anos” Blumenau estará capacitada a pleitear um dos investimentos fundamentais – a ligação Velha – Garcia por túnel e elevado. Isto se o próximo prefeito tiver interesse, porque as atuais obras, com exceção dos corredores de ônibus, não tem nenhuma influência no nosso sistema geral, limitado no centro pelo rio, duas avenidas e morros.

Basta ver diariamente o enorme fluxo de veículos que atravessa o “Morro da Companhia” e o “Morro do Pedro II”, o que na prática demonstra que o povo está criando o anel interno enquanto o anel externo está abandonado e ficará limitado à Ponte do Badenfurt na próxima década. Apesar das promessas que ouvimos há oito anos e das promessas que ouviremos até a próxima eleição.

Recentemente o Santa publicou uma foto de um semáforo no túnel da Rua Samuel Morse. Pois saibam que esta rua faz parte do anel externo da cidade e, atrevo-me a antecipar – se este Anel Perimetral não for considerado prioridade “zero” pelo próximo prefeito, a cidade entrará em colapso total nos próximos oito anos. Ou antes!

Anúncios

1 Response to “FUTURO E MOBILIDADE”


  1. 1 Pedrinho
    9 de abril de 2012 às 18:33

    É isso mesmo, as útlimas administrações municipais, só estão apontando projetos e obras para a região NORTE, esquecendo do restante de Blumenau.
    Não entendo como o povo do GARCIA e da VELHA, estão deixando isso acontecer, estão vendo e não fazem nada.
    É ainda estão inclusive correndo o risco de terem a prefeitura de Blumenau, na região central, pois até esta também irá para a região NORTE.
    Se isso ocorrer, será mais fácil a VELHA e o GARCIA se tornarem uma cidade separada de Blumenau, e fazerem suas ligações, não uma, várias, não é tão dificil assim.
    Entre os dois bairros no passado já teve épocas em que haviam vias secundárias ligando os dois bairros.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Perfil do autor

Arquiteto e Urbanista graduado no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná em 1970, quando ainda não existia a Arquitetura na Federal de Santa Catarina. Em 1971 trabalhei em São Paulo e exerço a profissão desde 1972 em Blumenau, inicialmente como autônomo. Entre 1974 e 1990 como sócio da Lindner Herwig Shimizu Arquitetos e atualmente como sócio-diretor da A + C Arquitetura. Gosto da boa arquitetura e me preocupo com a questão urbana e com o desenvolvimento social e econômico da cidade de Blumenau e do Vale do Itajaí nas próximas décadas, sem perder a sua identidade paisagística e cultural e os valores morais e éticos.
O meu grande desafio como arquiteto é viabilizar a edificação dos projetos para que estes não se transformem em meras idéias de arquitetura.

Data dos posts

abril 2012
S T Q Q S S D
« dez   jul »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Blog Stats

  • 16,997 hits

%d blogueiros gostam disto: