Posts Tagged ‘a importancia do planejamento

31
dez
11

O ano de 2011

Como sempre, aconteceram coisas boas e ruins neste ano que está acabando. Apesar da minha pouca facilidade e frequencia em escrever neste blog, volto a fazê-lo no limite do ano de 2011, mais de 6 meses depois do último post.

Excesso de compromissos profissionais, falta de tempo, as desculpas sempre são as mesmas. Mas no fundo talvez seja apenas pouca afinidade com a atividade (blogueiro).

Termino este ano de 2011 com muita alegria, especialmente devido a dois assuntos absolutamente relevantes no meu ponto de vista para o futuro da cidade de Blumenau e de todo o grande Vale do Itajaí. Pois apesar da pouca afinidade com o meu próprio blog, continuei me manifestando publicamente via cartas e artigos publicados na página 2 do Jornal de Santa Catarina. Em função da seriedade e competencia com que esta página é considerada pela editoria do jornal, é o veículo mais importante na relação pública da cidade e de grande parte do Vale do Itajaí.

No dia 24 de agosto de 2010 (dois mil e DEZ), publiquei um artigo intitulado “Projeto Jica – o que é?”, tentando mostrar aos cidadãos de todo o Vale do Itajaí a importancia dos estudos elaborados durante dois anos por uma grande equipe de técnicos japoneses, com muita competencia e seriedade, o que observei desde o momento em que resolví conhecer o assunto, pois os comentários sempre eram os mais discrepantes possíveis. Pois bem, convencido da importancia e da qualidade dos estudos e da forma de abordagem e viabilidade, comecei a me manifestar, via Santa e também dentro da Associação Empresarial de Blumenau (ACIB), da qual faço parte como membro do Conselho Deliberativo (período 2007 – 2013).

Confesso que fatos extra-terrenos (ou não?) contribuiram para os meus dois motivos de satisfação. Como todos lembramos, a cidade foi novamente vitimada por uma enchente, daquelas recorrentes (média de dez anos), no inicio do mes de setembro. E os dois assuntos pelo quais eu me empenhava de forma absolutamente convencido tiveram um auxilio “divino”, pois as margens do nosso Rio Itajaí-Açú desmoronaram em toda a margem esquerda do centro da cidade ( absolutamente previsível) e impuseram um fim lógico ao veto extremista político-ideológico do Comitê da Bacia do Itajaí à obra.

De outro lado, os estudos finais do Projeto Jica (concluídos duas semanas antes da enchente), sob a forma de sugestões após avaliações técnicas, científicas e de viabilidade feitas com muita profundidade, foram encampados por – pasmem – políticos de partidos totalmente antagônicos como o PT e o PSD (antigo DEM), nas pessoas principalmente do prefeito João Paulo Kleinübing, do governador Raimundo Colombo e da senadora Ideli Salvatti, que nos brindaram com a mais agradável e surpreendente atitude, ao confirmar junto à Ministra do Planejamento, em Brasília, há poucos dias, verbas de até R$300 milhões para serem aplicadas nos projetos iniciais de implantação do Plano de Mitigação de Desastres da Bacia do Itajaí- Açú.

Aleluia! e fiquemos atentos. O mesmo Santa publicou artigo que escreví ontem sobre o assunto, o que me deixou absolutamente satisfeito e confortado, certo que a atitude paciente de tentar esclarecer a opinião pública e de ficar atento e cobrar ações dos políticos, é absolutamente necessária!

FELIZ 2012 A TODOS!

Jornal de Santa Catarina – 31/12/2011 | N° 12455

ARTIGO

O Vale do Itajaí agradece

Chegamos ao final do ano e, como sempre, há vitórias e derrotas. E empates. Diante do início do novo ano, fiquemos ligados e atentos ao eficiente trabalho de alguns políticos em beneficio do Vale do Itajaí, polo propulsor do desenvolvimento econômico e social de Santa Catarina.

Especialmente quem no dia 24 de novembro de 2010 escreveu um artigo publicado no Santa intitulado Projeto Jica – o que é? não poderia deixar de manifestar a satisfação ao ler, em 29 de dezembro – 400 dias depois –, no mesmo Santa, o resultado de uma eficiente reunião de trabalho de políticos de diversos partidos, em Brasília, no Ministério do Planejamento. Nela, foram definidas as verbas iniciais do maior investimento para a sobrevivência de uma população ordeira e organizada que serve de exemplo a todo país. E que sofre as consequências de recorrentes catástrofes naturais, provocadas – quem sabe – pela mesma geografia que nos brinda com paisagens e verdes deslumbrantes e, por outro, nos castiga periodicamente.

Provamos mais uma vez que a discussão aberta dos problemas sociais e urbanos é o melhor caminho para soluções objetivas e definitivas. A Associação Empresarial de Blumenau (Acib), que liderou este movimento de esclarecimento e discussão públicos, e as demais entidades regionais, e especialmente os políticos, representando diversos segmentos da sociedade, mostraram eficiência. No encontro em Brasília, PT e PSD, com suas coligações, mostraram o que pedimos há muito tempo: esforço e união em beneficio de todos. As verbas destinadas à implementação das sugestões de dois anos de trabalho dos técnicos da Jica reverterão em prol de toda a sociedade do Vale do Itajaí. Conseguiremos conviver muito melhor com nosso clima, em segurança e harmonia com a natureza e com a modernidade.

Valeu o ano de 2011. Por outro lado, permaneçamos atentos. Cumpre-nos a próxima tarefa, a de fiscalizar e exigir eficiência nos projetos e nas obras.

ALFREDO LINDNER JR.|Arquiteto

11
dez
10

POR QUE PENSAR EM 2050?

PORQUE PENSAR EM 2050

Realizou-se nos dias 29 e 30 o 2º Seminário Técnico BNU2050, ação prometida pela Prefeitura desde o 1º seminário de2008. Apesar da pequena participação na sugestão de projetos e propostas para a cidade, especialmente dos críticos dos nossos problemas urbanos, o evento foi altamente produtivo e esclarecedor em função das palestras e da participação de renomados arquitetos com larga experiência nos temas e de um bom numero de profissionais locais, além da boa representatividade das entidades civis do município.

As sugestões são importantes para a atualização do planejamento da cidade: viabilizar a médio e longo prazo o novo Centro Cívico garantindo a diversidade e a urbanidade, a necessidade urgente da duplicação da BR470 e das marginais, extensão do Parque das Itoupavas até a sua foz, criação de um Parque Municipal da Rua Pomerode até a foz do seu ribeirão e a melhoria da mobilidade urbana. Em relação ao atual Centro, sugestões que valorizem a beleza natural que o nosso rio e os morros proporcionam com exclusividade, incentivar a ocupação habitacional multi-social, valorizar a nossa história, profissionalizar o turismo e a atividade cultural com museus, teatros, escolas e hotéis que mantenham viva a cidade e o comércio durante o dia e lhe dêem vida à noite. Urbanizando todas as transversais da XV, reativando o porto com marina pública e implantando circuitos de caminhadas e ciclovias ao longo das duas margens do rio, muito criticado por ter dados as costas à cidade. Claro, para isso é necessário investir a curto prazo no projeto do túnel ligando a Garcia à Velha e planejar a sua execução nos próximos anos, viabilizando o imprescindível Anel Periférico sem agredir a belíssima mata nativa e a fauna existentes.

Teoricamente simples e fácil. A curto prazo adaptar a legislação, a médio prazo continuar as discussões e a longo prazo pensar em nossos filhos e netos vivendo em 2050 numa cidade ainda mais bonita e muito mais rica social e culturalmente.

Apenas para ilustrar, abaixo detalhes da participação do nosso grupo nas oficinas.

 

 

Novos Usos para o Centro Histórico e Tradicional

 

REVITALIZAR O CENTRO AÇÕES:
Incentivar o habitação (diversos públicos alvo classes A B C) no centro para revitalizar as áreas e outros usos [Aumentar o potencial construtivo] Reurbanizar as transversais e paralelas da Rua XV com fiação subterrânea
Turismo – Explorar aspectos positivos do lugar [geografia/paisagem/arquitetura]. Fortalecer o turismo ligado à cultura local, potencializar a originalidade do lugar (ex.: Museu Fritz Muller, Hábitos e Costumes, Família Colonial, TCG e arquitetura);
Fortalecer e incentivar a rede hoteleira no centro, autorizar ônibus de turismo na cidade; Equiparar o uso H com o uso Residencial para definição do pontencial construtivo;
Fomentar pequenos hotéis temáticos/butique – casarões históricos Criar uma linha de ônibus inter hotéis / hospitais / Vila Germânica
Estacionamento nas extremidades da Rua XV Estacionamento Bom Jesus – uso público após o fim do comodato
  Rever o Código Tributário – Zona Fiscal 1
Cultura – manter e expandir o corredor cultural como indutor do turismo  
Fortalecer a integração entre hospitais visando ser referência na área de saúde. Não esquecer o Hospital Regional na região Norte
Prefeitura antiga – ‘funções’ como: Praça do Cidadão, sub-Prefeitura e Sala de Atos do Governo (simbólico). Fortalecer a identidade da ‘cidade universitária’ garantia de ‘vida’ na região

 

0 rio precisa ser liberado e se tornar acessível a todos – navegação (transporte e lazer) Dentro do projeto ‘Circuito Ciliar’ incluir a reativação do antigo porto e eventual criação de uma marina pública
  Passarela
Fortalecer o ensino fundamental – conscientização da população – educação e cultura Implodir o América permitindo uma maior permeabilidade visual assim como outros terrenos vagos
Sede da atual Prefeitura deve ter uso misto e cultural  
   
18
set
08

Blumenau do Futuro, do Século 21 e de 2050?

Pois é, parece que o artigo que o Santa publicou, ao menos cria uma espectativa de entendimento entre as diversas siglas para o mesmo projeto. (anexo)

No dia 16 pp os tres principais candidatos a prefeito expuseram os seus planos no auditório do Hotel Himmelblau. No geral, achei muito fraco, considerando a platéia de lideranças que estava ouvindo. Todos repetiram o que todos já sabiam, com exceção do desabafo do candidato Décio Lima em relação à divulgação pelo grupo RBS de informações sobre o processo Influenza ( acho que é isso). O candidato Ivan Naatz parecia um tanto nervoso e querendo agradar a todos. Na ocasião lembre da ação que ele impetrou contra a desapropriação do terreno para o CIEFE, que trouxe enormes prejuizos e deu força aos dois prefeitos ( Décio e João Paulo) para não pagarem o valor definido pela justiça. O candidato João Paulo apresentou um balanço de governo – que todos os presentes já conhecem – e alguns planos muito básicos, misturando prioridades e sem falar como conseguir verbas, etc.

Aliás, em relação a este assunto, permanece a velha polêmica entre os partidários do PT – dizendo que o atual governo municipal não fez as obras planejadas no governo anterior porque não quís, porque a verba está alocada – e os membros do atual governo que sempre tiveram dificuldade para liberar verbas aprovadas em projetos do governo anterior. Quem diz a verdade?

Enfim, achei o encontro fraco e cansativo. Infelizmente não houve debate, não havia perguntas e, cada candidato esteve SEPARADAMENTE no plenário, sem no minimo ouvir a exposição do concorrente.blumenau-do-futuro-em-2050




Perfil do autor

Arquiteto e Urbanista graduado no Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná em 1970, quando ainda não existia a Arquitetura na Federal de Santa Catarina. Em 1971 trabalhei em São Paulo e exerço a profissão desde 1972 em Blumenau, inicialmente como autônomo. Entre 1974 e 1990 como sócio da Lindner Herwig Shimizu Arquitetos e atualmente como sócio-diretor da A + C Arquitetura. Gosto da boa arquitetura e me preocupo com a questão urbana e com o desenvolvimento social e econômico da cidade de Blumenau e do Vale do Itajaí nas próximas décadas, sem perder a sua identidade paisagística e cultural e os valores morais e éticos.
O meu grande desafio como arquiteto é viabilizar a edificação dos projetos para que estes não se transformem em meras idéias de arquitetura.

Data dos posts

julho 2014
S T Q Q S S D
« set    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Blog Stats

  • 14,314 hits

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.